Metal Reunion Zine

Blog que reúne notícias referentes a bandas, artistas, eventos, produções, publicações virtuais e impressas, protestos, filmes/documentários e quadrinhos independentes/underground ligados de alguma forma a vertentes da cultura Rock'n'Roll e Heavy Metal do Brasil e também de alguns países que possuem parceiros de distribuição do selo Music Reunion Prod's and Distro e sua divisão Metal Reunion Records.

domingo, 30 de abril de 2017

KRISIUN - Forged In Fury - Resenha CD


KRISIUN
“Forged In Fury”
Voice Music – Nac.
Com tudo que o Krisiun fez e representa para o cenário Death Metal mundial fazer uma resenha, a cada lançamento de um novo disco, não se deve apenas tecer comentários acerca de tal lançamento. Não é apenas o lançamento, que a cada disco mostra a qualidade indubitável dos irmãos Max Kolesne (bateria), Moyses Kolesne (guitarra) e Alex Camargo (baixo e vocal), é o que a máquina de destruição chamada Krisiun significa, representa, a sua importância, qualidade em fazer música brutal e evoluir dentro de seu próprio estilo, sem se vender a modismos baratos ou se deixar influenciar por aquilo que não é Heavy Metal. “Forged In Fury”, 10º álbum de estúdio, mostra uma banda poderosa, numa evolução constante, que agora em meio ao caos sonoro e brutalidade, inserta doses cavalares de muito peso, em músicas mais trabalhadas, o que já vinha sendo mostrado nos seus discos anteriores. A bateria de Max, agora mais contida, com mais peso, ainda continua ditando o andamento da música dos gaúchos; as linhas de baixo de Alex acompanham de perto as levadas de bateria criadas pelo seu irmão e, sequer, escutamos alguma espécie de lacuna nos petardos em forma de músicas contidos no disco; as linhas de guitarra de Moyses, agora mais densas, com riffs mais cadenciados, pesados, com os poderosos vocais de Alex, completam o Death Metal que foi lapidado por anos pelo trio. Nada de músicas curtas aqui. O que ouvimos são verdadeiras odes ao Death Metal, mais longas, mas, de forma alguma, soando iguais em seu decorrer. Mas há de se destacar alguns temas que empolgam facilmente, tais como “Ways of Barbarism”, “Dogma of Submission” (o que é a linha de baixo nessa música?!), “Timeless Starvation” – para citar apenas três –, seja pela inserção de momentos mais furiosos, velozes ou pelos andamentos marcados e de muito peso. O disco foi gravado no Mana Recording Studios, e produzido pelo renomado Erik Rutan, que já havia trabalhado com a banda anteriormente, co-produzindo o “Conquerors of Armageddon”. A arte da capa foi feita por outro artista que também já trabalhou com o Krisiun: Joe Petagno. O ‘track list’ desse lançamento nacional (apresentado em digipack) ainda traz como bônus “Earth’s Cremation” e o cover para Electric Funeral do Black Sabbath. As letras das músicas contidas em “Forged In Fury” são outro destaque, bem construídas – ainda hereges, anticristãs, críticas –, algo também inerente à banda. Ah, o Krisiun chegou num patamar que nem é preciso colocar o nome de seus integrantes no encarte. Basta apenas uma foto para sabermos quem é quem. Isso é Krisiun! Isso é Death Metal!

Site: www.krisiun.com.br

Resenha por Valterlir Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário