Metal Reunion Zine

Blog que reúne notícias referentes a bandas, artistas, eventos, produções, publicações virtuais e impressas, protestos, filmes/documentários e quadrinhos independentes/underground ligados de alguma forma a vertentes da cultura Rock'n'Roll e Heavy Metal do Brasil e também de alguns países que possuem parceiros de distribuição do selo Music Reunion Prod's and Distro e sua divisão Metal Reunion Records.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

PREDATORY - Dirty Scum Arise - Resenha CD


PREDATORY
“Dirty Scum Arise”
Violent/Diversos – Nac.
Após o lançamento de três Demos, a banda de Thrash Metal Predatory finalmente chegou ao seu álbum de estreia. “Dirty Scum Arise” foi lançado em 2013 graças a união de diversos selos. Para quem já conhece a banda de seus lançamentos anteriores irá perceber que grande parte das músicas desse álbum foi retirada de suas Demos, com exceção de “Welcome to the Army”, que é um cover do Vulcano. A banda faz um Thrash Metal forte e a gravação, feita no BECO Studios, deixou a sonoridade encontrada nesse ‘debut’ álbum bastante encorpada, com a parte instrumental bem definida. Alguns riffs e passagens chegam a lembrar o velho Slayer e até mesmo o Cannibal Corpse, inclusive em alguns solos. A impostação vocal de Renato Bartkus é bem ofensiva, gritada e que casa bem com o estilo apresentado pela banda. Falando em ofensa e agressividade, a capa mostra imagens de um mundo caótico e cheio de conflitos, o que casou muito bem com o título e com a temática lírica apresentada que traz, obviamente, temas falando sobre guerras, injustiças, destruição, problemas sociais, entre outros nessa linha. Voltando à parte sonora, é um álbum que exala Thrash Metal da primeira a última nota das músicas, mas que não se prendem a pegada ‘old school’ do estilo, até mesmo por apresentar algumas levadas influenciadas pelo Death Metal em algumas passagens. As músicas, em sua maioria, têm levadas velozes, com alguns momentos onde podemos encontrar andamentos mais compassados, porém em doses pequenas, como no caso de “Death to the Murderer”, a qual conta com melodias mais apuradas nas linhas criadas pelos guitarristas Ricardo Lima e Thiago Pacheco. Mas, vejam bem, como mencionado, são pequenas doses, já que a banda procurou mostrar, em todo o álbum, músicas sempre agressivas. E mesmo soando agressivo, o baixo de Anderson Casarini se faz presente em todas as músicas, soando nítido e fazendo um grande trabalho ao lado da bateria de Luiz Carlos. Um álbum que deve ser ouvido, não somente por aqueles que já conhecem o Predatory, mas por todos que curtem um som agressivo, bem feito e que realmente mostra que é possível fazer Thrash Metal sem obrigatoriamente soar ‘old school’. Ah, após o fim da última música, “Visions World Apart”, a banda nos presenteia com um cover para “Mandatory Suicide” do Slayer.

Contatos: A/C Ricardo Lima. Avenida Saldanha da Gama, 121, Ap. 114 – Ponta da Praia. Santos/SP. CEP: 11.030-401.
E-mail: banda_predatory@yahoo.com.br

Resenha por Valterlir Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário